23 de novembro de 2010

Realidade atingida


Que inconveniência,
Eu ter reparado quando menos o desejavas...
Não cogitas-te, que um dia viria
A descobrir o que entre mãos entrelaçavas?

OHhhhhhhhhhhh... Até teria pena...
Mas, não és tu que dizes, que me caracterizo
Por um frio e rude cruel? Enfim...
Deixo-me levar por essas definições
Absurdas, que utilizas sobre mim
Quando fora de ti te encontras...

Não quero saber nem de mais meia
Palavra vinda de ti... Pois, nem imaginas
O sarcasmo criado em mim, por uma palavra tua terminada.
Nem queiras imaginar, pois perturbarei
Tua mente, ate sem forças te deixar...

Ri-te e disfruta desta infame alegria.
Por enquanto, vive o momento...
Pois um sofrimento
Te atingira, no melhor momento.

E ai... A tua doce e sublime memória,
Me fará o favor de te recordar
Essa dor, que em mim crias-te...

Que agora vivida em ti,
Vais sentir um ardor

Como nunca imaginaste......
De:Diego Monteiro

Sem comentários:

Publicar um comentário